Pesquisas

Filtros:

Ficha Técnica Projeto

OZÔNIO: UMA ESTRATÉGIA PARA CONSERVAÇÃO E PARA REMOÇÃO DE TRIALOMETANOS DE PESCADO

Química

Maria Eliana Lopes Ribeiro De Queiroz

Descrição

 
Na indústria pesqueira a qualidade do pescado está relacionada não só com a espécie, tamanho e valor comercial, bem como com o frescor e grau de deterioração. Para garantir a sua produtividade, desde a sua criação em viveiros os peixes são tratados com cloro para desinfecção. Além disso, visando manter a qualidade, o abate e a higienização do pescado são feitos em presença de cloro que permite a redução da microbiota existente na superfície do pescado. Nos peixes armazenados sob refrigeração, a proliferação microbiana tem sido apontada como a principal causa de deterioração, sendo o cloro amplamente utilizado ao longo do armazenamento para conservação. Entretanto, alguns subprodutos são formados no processo de cloração sendo os mais importantes os trialometanos (clorofórmio, diclorobromometano, clorodibromometano e bromofórmio), compostos com alto potencial carcinogênico. A possibilidade de formação de trialometanos no abate, higienização e conservação podem levar à contaminação dos peixes com esses compostos. Levando em consideração que o pescado é um produto com alto potencial de deterioração e consequente perda de qualidade, a utilização de compostos e meios que prolonguem a vida útil do pescado, é importante para o sucesso da piscicultura. Entretanto monitoramento e controle dos subprodutos formados se fazem necessários. O uso de ozônio como uma estratégia eficaz para descontaminação de alimentos tem sido mostrado por nosso grupo de pesquisa. Embora o ozônio seja usado em pescado para aumento da sua vida útil, não há relatos na literatura do emprego do ozônio com a finalidade de detoxificar pescados. Este projeto tem como objetivo desenvolver uma estratégia, empregando ozônio, para conservação e descontaminação de pescado e obtenção de um produto livre de trialometanos.

Período

04/08/2014 à 22/12/2017